NOTÍCIAS

Orientações para Gestantes com Relação ao Coronavírus


Ainda há muito poucas informações sobre os efeitos da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19) especificamente em gestantes. Entretanto, revisões retrospectivas em gestantes com COVID-19 constataram que as mulheres pareceram
apresentar menos complicações e desfechos adversos maternos e neonatais do que o esperado para pacientes com síndrome respiratória aguda grave. Foram relatados alguns efeitos adversos no bebê, entre eles sofrimento fetal, trabalho de parto prematuro, desconforto respiratório e alterações laboratoriais; no entanto, não está claro se esses efeitos estão relacionados à infecção materna pelo vírus.
 
As recomendações, até o momento, são as mesmas para qualquer adulto fora da gravidez:
 
1) Evitar o contágio pelo vírus:
a. Medidas básicas de higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las.
b. Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc.
c. Para a limpeza doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso de álcool 70o ou água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para desinfetar superfícies.
d. Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante. Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Também é necessário evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.
e. Mantenha a distância de pelo menos um metro das outras pessoas. Não cumprimente com beijos, abraços ou apertos de mão.
f. Evitar aglomerações, reuniões desnecessárias e consultas em emergência se não forem absolutamente necessárias.
g. Além disso, as máscaras faciais descartáveis devem ser utilizadas por profissionais da saúde, cuidadores de idosos ou de pessoas que estão doentes e mães amamentando. Por enquanto, não há recomendação de afastar as gestantes que trabalham na área da saúde, mas esses casos precisam ser individualizados.
 
2) Evitar o contágio de outras pessoas:
a. Lavar as mãos ou usar álcool-gel com frequência, desinfetar superfícies, manter os ambientes arejados.
b. Se tiver QUALQUER sintoma de gripe, procure ficar em casa e evitar o contato com outras pessoas – especialmente idosos e adultos com problemas cardíacos, respiratórios ou de imunidade. Se precisar realmente entrar em contato com outras pessoas ou sair na rua, use máscara descartável (cirúrgica simples).
c. Se precisar tossir ou espirrar, faça-o na parte interna do cotovelo ou em lenços descartáveis.
d. Se tiver voltado de viagem recente, preste atenção nas recomendações atualizadas emitidas pelo Ministério da Saúde com relação à necessidade ou não de isolamento.
 
3) No caso de apresentar sintomas:
a. Os sintomas mais característicos da COVID-19 são FEBRE PERSISTENTE e TOSSE. Também são sintomas possíveis: dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal, sintomas de conjuntivite, dificuldade para engolir, dor de garganta, coriza.
b. Se tiver somente sintomas leves, a recomendação é ficar EM CASA (para evitar as aglomerações desnecessárias nas emergências, aumentando a chance de contaminação própria e dos outros com esse e outros vírus ou bactérias), usando medidas sintomáticas simples: muita hidratação, repouso, alimentação normal, arejar os espaços, utilizar paracetamol se apresentar dor ou febre, lavar o nariz com soro fisiológico. É necessário manter o isolamento no domicílio por 14 dias.
 
§ Fique tranquila, pois na maioria das vezes a COVID-19 não passa de uma gripe forte e temporária, sem complicações, nas mulheres em idade reprodutiva.
 
§ Até o momento, não existe indicação de monitorização especial, exame ou ecografia para avaliar o bebê, nos casos em
que a gestante está em bom estado geral. Apenas controle movimentos fetais (se já está na época de percebê-los).
c. Se apresentar FALTA DE AR, então pode estar tendo alguma complicação do COVID-19: não tarde em procurar a emergência do hospital. Os hospitais estão constantemente se organizando para triar os casos suspeitos e dar o devido encaminhamento.
 
§ Nesses casos, sim, a avaliação fetal será feita de maneira apropriada no hospital.
 
d. Em qualquer uma dessas situações, é importante entrar em contato com o médico para receber as orientações oportunas e individualizar o que precisa ser feito.
 
4) Sobre consultas e exames de pré-natal:
a. Por ora, a recomendação é de comparecer normalmente às consultas e exames agendados.
b. Leve o mínimo de pessoas possível com você (no máximo um acompanhante). Especialmente não leve crianças e idosos.
c. Na sala de espera, procure ficar a pelo menos um metro de distância das outras pacientes. Procuraremos providenciar álcool-gel e, eventualmente, máscaras.
d. Caso esteja com febre ou com algum outro sintoma respiratório, talvez seja melhor você não ir à consulta presencial. Antes de sair de casa, ligue para o consultório ou para o médico. Excepcionalmente nessa época, é
possível que seja necessário fazer algumas “consultas a distância”.
 
Por fim, lembre que as informações e recomendações acerca do COVID-19 podem mudar diariamente, e procuraremos estar inteirados delas. Lembre também que os profissionais de saúde são as pessoas na linha de frente dos atendimentos e, portanto, as mais expostas às infecções. Se, a qualquer momento, seu médico ou sua equipe apresentarem sintomas, precisarão de isolamento por 14 dias, e reagendamentos, bem como substituições, poderão ser necessários.
São tempos difíceis, que exigem cooperação, empatia e sacrifícios de todos. Mas torcemos que passe rápido, com o mínimo de danos possível, sem que precisemos enfrentar o caos que assola outros países.
 
Fonte: Obstetras Clínica Lotus em parceria com Dr Cristiano Salazar (obstetra).





Listar todas