NOTÍCIAS

Ressecamento Vaginal na Menopausa


A menopausa se caracteriza pela diminuição dos hormônios femininos, o estrogênio e a progesterona. Esta alteração hormonal leva a alterações graduais da vagina com redução do colágeno e afinamento do epitélio (pele da vagina), além de alterações nas células musculares e da inervação. Estas modificações fisiológicas resultam na diminuição da flexibilidade da parede vaginal, diminuição do fluxo sanguíneo e alterações de sensibilidade. 

Os sintomas relacionados são secura vaginal, dor na relação sexual, coceira na vagina e dor. Há também os sintomas relacionados ao sistema urinário como incontinência urinária, urgência miccional e predisposição à infecção urinária (cistite). O tratamento pode ser hormonal ou não hormonal. Este primeiro se utiliza de cremes vaginais medicados com estrogênio sintético ou medicações naturais (fitoestrógenos). 

Os riscos são pequenos e apresentam uma boa resposta terapêutica, entretanto na pratica clinica observamos uma baixa aderência ao tratamento a longo prazo, já que a terapêutica exige disciplina em aplicar a medicação na vagina de duas a três vezes por semana e/ou uso de fitoterápicos diariamente. Os sintomas reaparecem rapidamente com a descontinuação da terapia. O tratamento não hormonal se utiliza do laser para a correção da atrofia vaginal, sendo uma ótima indicação para quem não pode ou não quer se submeter a tratamentos hormonais. Apresenta boa segurança e resultados duradouros, com 1 a 3 aplicações a resposta se mantém por cerca de 12 meses.

Autor(a): Dra. Carolina Melendez. CRM-RS: 33764





Listar todas